Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Zoológico Santuário São Francisco registra caso raro de reprodução de arara Canindé

Arara de sete meses recebe o carinho e logo no recinto o filhote de três meses está curioso. (Foto: Antônio C. Alves)

Zoológico de São Francisco em Canindé, no Sertão do Ceará, onde a temperatura varia entre 28 e 35 graus, acaba de registrar o nascimento de dois filhotes de Arara-Canindé ou Arara-de-barriga-amarela, como é conhecida. Renata Lygia, bióloga do zoológico, o veterinário e os tratadores que atuam no zoo, estão radiantes com a chegada de mais dois habitantes na área de preservação ambiental.

A reprodução em cativeiro desta espécie é uma raridade. No caso do Zoológico São Francisco, o nascimento do filhote de Arara-Canindé se deve principalmente às boas condições de nutrição, acompanhamento técnico, médico veterinário e da bióloga que acompanham os animais.

“Tais condições enriquecem o ambiente e tornam-se fundamentais para que os animais se sintam mais próximos do habitat natural, propiciando a reprodução”, ressalta a bióloga Renata.

Um levantamento de dados nacionais, feito pelo zoológico de Canindé, aponta que o Zoo de Canindé, tem um dos maiores índices de natalidade do Brasil, tendo, ao longo de sua de criação, registrado vários casos de reprodução de diferentes espécies, entre elas répteis, aves e mamíferos.

Renata Lygia ressalta que os filhotes de Arara-Canindé apresentam boas condições de vida, alimentando-se de forma natural. “A primeira ararinha, que nasceu em março de 2019, foi gerada de apenas um ovo. Já se encontra no seu habitat natural. Já a segunda que nasceu em 2019, foram postos dois ovos e apenas um gerou um filhote. Ela ainda passará aproximadamente quatro meses sob cuidados dos pais até que alcance um estágio independente de alimentação e defesa”, acrescenta a bióloga.

Filhote de arara ainda sem identificação do sexo

Sobre o sexo dos filhotes a bióloga informou que até o momento não tem como ser feita a identificação, pois para isso é necessário um teste de DNA realizado somente em São Paulo.
A arara-canindé (ara ararauna) é uma ave que habita, principalmente, da América Central ao Brasil, Bolívia e Paraguai, sendo o Brasil o país com maior número de representantes da família.
A espécie é bastante ameaçada de extinção, pois além de ser um animal muito belo, com penas em tons de azul, amarelo e preto, pode chegar a medir até  90 cm. Além disso, é dócil e possui certa capacidade de fala, por isso é muito procurado para domesticação.

Vida da Arara-Canindé

A Arara-Canindé (Ara ararauna) ocorre da América Central ao Brasil, encontrada tambem na Bolívia , Paraguai e Argentina. Tal espécie chega a medir até 90 cm de comprimento, com partes superiores azuis e inferiores amarelas, alto da cabeça verde, fileiras de penas faciais e garganta negras. Também é conhecida pelos nomes de arara-amarela, arara-azul-e-amarela, arara do peito amarelo, araraí, araraúna, arara canindé e arari. As araras canindé na natureza se alimentam frutos e castanhas. Essas aves estão sempre em grupo e são aves barulhentas mas pousam silenciosamente.

A espécime enfrenta vários problemas em relação a extinção, estão sendo ameaçadas principalmente pelo contrabando e pelo comércio ilegal de aves, também é um animal muito procurado como bicho-de-estimação pois é muito dócil, quieto (dependendo das condições do cativeiro) e possuem certa capacidade de fala, além de ser um animal muito belo.

Caracterizadas como uma espécie monogâmica, uma vez que formam casal, não mais se separam e botam em cerca de três ovos e chocam entre 28 e 30 dias. Habitam beiras de mata e várzeas de palmeiras. Normalmente é observada voando aos pares ou até mesmo num grupo com três indivíduos, podendo este último ser um filhote. Dormem em bandos com até 30 indivíduos e fazem grandes deslocamentos diários desde a área de alimentação até a área de descanso.

Os filhotes permanecem no ninho até a décima terceira semana, período no qual são alimentados pelos pais que regurgitam o alimento em seus bicos.

Nidificam em buracos de troncos ocos, preferindo os ninhos bem profundos para proteger os ovos e filhotes da ameaça de possíveis predadores, como o tucano e primatas de médio porte. Quando os pais encontram um ninho potencial, eles afofam o fundo do mesmo com a madeira triturada, que raspam das laterais da árvore, facilitando a secagem do fundo que ficará repleto de fezes dos filhotes. Os ovos postos são chocados principalmente pela fêmea que é visitada e alimentada pelo macho.

Ordem: Psittaciformes

Família: Psittacidae

Nome popular: Arara-canindé

Nome inglês: Blue-and-yellow-macaw

Nome científico: Ara ararauna

Distribuição geográfica: Do Brasil a América Central.

Habitat: Várzeas com buritizais, babuçais e beira de mata.

Hábitos alimentares: Frutas, principalmente o bacurí e sementes.

Reprodução: Período de incubação de aproximadamente 28 a 30 dias, botando de 1 a 3 ovos.

Período de vida: Em cativeiro aproximadamente 60 anos e na natureza pode chegar aos 80 anos.

Foto colaboração: Antônio C. Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *