Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Saiba quem foi São Francisco, padroeiro dos pobres e dos animais

Ligado à fragilidade dos seres vivos, o santo viveu na transição do século XII para o XIII e inspira o movimento em direção a Canindé (CE) até hoje. Ele faleceu há quase 800 anos

Legenda: A estátua de São Francisco é uma das referências ao santo em Canindé
Foto: José Avelino Neto

Para além do “imponderável” na fé católica, os devotos de São Francisco tiveram um exemplo de vida prática para seguir o frade. Nascido em Assis, na Itália do século XII, e batizado como “Giovanni di Pietro di Bernardone”, Francisco tornou-se uma referência de humildade para a humanidade, ao decidir agir segundo os valores do Cristo e ter compaixão com os pobres e com a natureza.

Ele tomou essa decisão mesmo tendo experimentado os estímulos de um lar repleto de riquezas materiais. Seu legado, inclusive, inspirou o nome do atual papa. 

Filho de comerciantes italianos, a “ruptura” entre Francisco e seus pais não foi pacífica. Ele saiu de casa literalmente nu, em um gesto de negação às provocações do pai, que o acusava quando percebeu a maneira do filho lidar, sem apegos, com o dinheiro.

Na primeira década do século XIII, Francisco teve visões que sinalizavam como o retorno à terra natal reservava aprendizados fundamentais para realizar seu propósito de vida. Tocado pela conexão divina, perdeu o interesse por seus antigos hábitos (abastados) e passou a exemplificar a renúncia material

O exemplo provocou a formação de um grupo de seguidores. Francisco, então, foi a Roma para obter do papa uma autorização, a fim de criar sua ordem de franciscanos.

De início, nesse processo de criação, o frade e o novo coletivo não foram muito bem aceitos pelo poder católico da época, que considerava a ordem ligada a um rigor excessivo e impraticável. Havia um choque com aqueles homens que se despojavam da matéria e se diferenciavam, assim, da própria corte da Igreja Católica.

Os franciscanos passaram a viver dedicados ao trabalho manual, recebiam esmolas e acolhiam doentes graves, como os leprosos. A lenda em torno de Francisco confere ao santo, a exemplo do que aconteceu com Jesus, uma série de curas e realizações “milagrosas”.

E como toda filiação humana, a ordem franciscana também passou a experimentar conflitos e distorções em relação aos princípios de “pobreza absoluta”, “trabalho” e “hieraquia”. 

Morte

Somente em 1223, três anos antes do falecimento do santo, o grupo foi formalizado pelo papa Honório III. Aos 44 anos, São Francisco sentiu a morte próxima e faleceu no dia 3 de outubro de 1226, em sua própria terra. Dentre as várias ideias atribuídas à filosofia de Francisco, o frade tornou-se uma referência de resignação com reflexões como: “Devemos aceitar com serenidade as coisas que não podemos modificar, ter coragem para modificar as que podemos e sabedoria para perceber a diferença”.

Chagas

O título de São Francisco das Chagas tem origem nas cinco chagas, ou “estigmas”, de Cristo, que o santo recebeu em um momento de profunda oração no alto do Monte Alverne. São Pio de Pieltrecina, Frade Franciscano Capuchinho, que morreu em 1968 e foi canonizado em 2002, por exemplo, também recebeu esse sinal divino em seu corpo.

Segundo a tradição bíblica, o profeta Isaías reconhecia Francisco como o “servo sofredor” que “por suas chagas fostes curados”. A reflexão sinaliza a empatia entre o frade e todos os seres que sofrem qualquer tipo de violência ou discriminação.

Reprodução: Diário do Nordeste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *