Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Frades do Santuário de São Francisco de Canindé participam do Capítulo Provincial

“PERMANECE CONOSCO, SENHOR” (Lc 24, 29-33)

Sob o Tema “FORMAR E GERIR EM VISTA DA VIDA FRATERNA E DA MISSÃO”, hoje, dia 03 de janeiro de 2018, tem inicio em Lagoa Seca (Paraíba) o Capítulo da Fraternidade Provincial (Província de Santo Antonio do Brasil). O Capítulo é uma Assembleia que acontece a cada três anos como tempo privilegiado de revisão e planejamento da vida e missão como frades menores no Nordeste do Brasil, na Missão entre os índios Tiriyós (extremo norte do Pará) e nas duas casas da Alemanha.

Da cidade de Canindé, Ce, onde está localizada a Paróquia e Santuário de São Francisco das Chagas, estão participando do Capítulo os frades Frei Marconi Lins (pároco e reitor), Frei Sérgio Moura (guardião do Convento), Frei João Sannig, Frei Paulo Araújo, Frei José Domingos e Frei Jurandir Caetano. E permanecem no atendimento da paróquia e Santuário em Canindé, nas missas, confissões, os frades Frei Adalberto (Cacareco), Frei Dom Martinho e Frei Dom José.

Nestes dias (de 03 a 10 de janeiro) vamos estar em oração pelos frades nesse importante momento de missão!

Saiba mais sobre a história dos Capítulos dos frades

Desde o século VIII, os monges beneditinos se reuniam, depois da Hora Prima, para escutar a leitura de um “capítulo” (capitulum) da Regra dos Monges de São Bento. Pouco a pouco, essa reunião da comunidade monástica começou a ser chamada de “capítulo” (do mosteiro), e o lugar em que reuniam, de “sala capitular”.

Nos mosteiros havia dois tipos de capítulo. Um consultivo: o Abade ou Abadessa pedia o conselho da comunidade a respeito de algum assunto. O outro era formativo: o Abade ou a Abadessa fazia um comentário sobre o significado de um trecho da Regra, apenas lido.

O “Capítulo geral” foi criado pelos monges cistercienses, em 1195. Todos os Abades cistercienses reuniam-se uma vez por ano na Abadia de Citeaux (França). Em 1215, o IV Concílio Latrão (cânone 18) estabeleceu que todas as Ordens religiosas celebrassem “capítulos”, de determinados a determinados anos (anual, trienal, etc.), seguindo o exemplo dos cistercienses, com o objetivo de promover a reforma da vida religiosa.

Assim, a palavra “capítulo”, nos tempos de São Francisco, já havia adquirido um significado e gozava de longa e variada tradição. De 1209 a 1217, aproximadamente, se celebrava um “Capítulo geral” duas vezes por ano: na Festa de Pentecostes (maio-junho); e na festa de São Miguel (29 de setembro). Mais tarde, (1218-1223), os Ministros da Itália e regiões vizinhas celebravam cada ano um Capítulo em Pentecostes e, cada ano, celebravam-se também “capítulos provinciais” na Festa de São Miguel. A cada três anos, os Ministros das Províncias “além dos Alpes” participavam do “Capítulo Geral”, na Porciúncula.

Hoje, a Ordem dos Frades Menores estabelece um Capítulo na Província ou Custódia a cada três anos e um Capítulo geral a cada seis anos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *