Share on facebook
Share on telegram
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

O lobo do Gúbio

Recebendo um faisão de presente, Francisco louvou a Deus pela sua existência. Depois disso, o faisão não largava de seu pé e não queria saber de mais ninguém. Vendo uma cigarra  no jardim, pediu que ela louvasse a Deus e ela se pôs a cantar até que ele a mandou parar.

Estando no lago Transímero, fez amizade com uma lebre que não queria mais deixá-lo. Andando de barco no lago de Reti, recebeu um peixe vivo. Deitou-o novamente na água, e o peixe começou a seguir o barco até o Santo mandá-lo seguir adiante.

A cidade de Gúbio estava assustada com um lobo feroz que ameaçava currais e pastores, dizimando rebanhos. O povo tinha uma solução: matar o lobo. Francisco pediu um tempo e foi procurar a fera. Encontrou-o a entrada da toca, ameaçador. “Irmão Lobo, vamos conversar”, diz Francisco, manso e com ar amigo. Fala-lhe que sua vida esta errada, vive assustando, roubando, prejudicando. E avisa-o que corria perigo de ser morto. Se está com fome, procure auxílio, mas sem violência. Resfolegando, olhos ameaçadores, o lobo sai da toca movido pela curiosidade. “Vou fazer-lhe uma proposta, irmão lobo”, continuou Francisco: ”Você para de roubar e matar, e assim os moradores de Gúbio lhe perdoam os crimes e se encarregam de sua comida.” O lobo foi amansando, torna-se meigo e abana a cauda em sinal de concordância. “Passa a patinha aqui”. E Francisco a aperta, fraternalmente, continuando: “Vamos agora para a cidade, para as pessoas conhecerem nosso acordo”. E entraram na cidade, deixando os moradores espantados e temerosos. Francisco apertou-lhe mais uma vez a pata, deixando os moradores comovidos.

O povo de Gúbio cumpriu a promessa de tratar o lobo até morrer. Por sua vez, o animal viveu fraternalmente com todos, especialmente agradecido a Francisco.

Há aqui uma grande lição: o milagre de Gúbio foi dar comida a um bicho violento por causa da fome. Muitos seres humanos também se tornam violentos, por falta de vida, comida e amigos.

Fonte: São Francisco. O Poeta da criação. Autor:  Pe. José Artulino Besen. Editora: Mundo e Missão.

Campanha dos Benfeitores

Informações, atualizar cadastro, novo benfeitor, revista, doações

Secretaria do Santuário

Informações, horários de missas, cemitério São Miguel, doações

Secretaria da Paróquia

Informações, horários de missas, batizados, casamentos, dízimo

Pousada Franciscana CEFRAE

Hospedagem, acomodações e refeições para romeiros e visitantes

Livraria São Francisco

Informações, livros, bíblias, artigos religiosos, lembranças do Santuário